A liderança eficaz da mudança em tempos turbulentos

 

Saiba como aumentar a credibilidade do seu líder

As muitas mudanças que vimos acontecer, sejam elas políticas ou econômicas, e a sensação de incerteza geral sobre como será o futuro impactam os negócios pelo mundo. Se hoje tudo é incerto, como nos preparar para as mudanças organizacionais?

Se já é esperado um aumento no volume e na complexidade das mudanças, cresce o desafio do líder em conduzir as mudanças com eficácia, para que elas sejam implementadas de forma bem-sucedida, mantendo a força de trabalho engajada e motivada. Diante desta responsabilidade, a credibilidade dos líderes pode ser ameaçada à medida que a demanda por mudanças ultrapassa a capacidade organizacional para implementá-las.

Que ações precisam ser tomadas para construir uma forte liderança da mudança em sua organização? Você pode saber mais no documento A Importância da Liderança Eficaz da Mudança em Tempos Turbulentos, elaborado pela Changefirst.

Conheça os três papéis da liderança, cujas responsabilidades específicas devem ser trabalhadas, e os quatro componentes de engajamento que vão mover pessoas para um estágio de compromisso com a mudança.

Faça agora o download do texto pelo site da Dextera.

Anúncios

O que faz de você um verdadeiro líder de mudança?

É com esta pergunta que Rosaneli Bach, coach e sócia-diretora da Dextera, abre o artigo “Uma visão sobre a essência do papel de Agente e Líder de Mudança“. Esteja certo de que todas as respostas estão lá!

De uma forma inspiradora, ela nos conta o que realmente importa quando é preciso exercer o papel de líder e agente de mudança nas organizações. O que estas esperam destes profissionais, além de municiá-los com metodologia, ferramentas e processos formais?

Saiba quais são as posturas que restringem uma atuação eficaz e as recomendações de como se comportar num ambiente veloz, no qual uma correta leitura de cenário e a eterna postura de líder aprendiz podem fazer muita diferença. Vale também conferir as doze características que todo líder precisa desenvolver, segundo a conceituada metodologia PCI® da Changefirst®.

Acesse a Biblioteca do site da Dextera e faça o download gratuitamente.

Por que é importante engajar as pessoas durante uma mudança?

whitepaper_engajamentVocê sabia que um processo de engajamento efetivo ajudará a sua organização a alcançar o comprometimento para a mudança? Lembre-se  que este é um elemento essencial para o gerenciamento eficaz de uma mudança.

Uma mudança bem-sucedida é decorrente de um número relevante de pessoas que se adaptaram ao novo e que estão adotando as novas práticas. No entanto, dados da Changefirst revelam que, no melhor dos casos, cerca de 25% das pessoas nas organizações se comprometem com a mudança.

Apenas 25% das pessoas estão engajadas e realmente usando e se apropriando das novas soluções. Isto sugere que, em muitos casos, as pessoas não têm um senso real de engajamento com a visão de mudança.

Criar este senso de engajamento e de verdadeira apropriação da mudança é um dos aspectos mais desafiadores da implementação da mudança. Sendo mudanças pequenas ou grandes, o engajamento é necessário para o sucesso.

Nos próximos posts, vamos mergulhar no tema engajamento e descobrir:
•    O que o engajamento realmente significa para uma organização em tempos de mudança
•    Quais são os 4 processos que você precisa considerar quando engajar sua força de trabalho
•    O vínculo entre engajamento e motivação
•    Como funcionários mal engajados podem arruinar até mesmo as iniciativas de mudança mais bem-intencionadas
•    Ferramentas para avaliar quão bem suas iniciativas de mudança estão ao criar engajamento

Vamos explorar estes tópicos em breve e fornecer-lhes as melhores dicas e ferramentas para criar um efetivo processo de engajamento em suas iniciativas e incrementar sua capacidade de gerenciamento de mudanças.

Saia na frente e acesse todo o conteúdo do white paper da Changefirst “How to Actively Engage Your People in Organizational Change“. Ele está disponível em inglês para download gratuito na biblioteca da Dextera.

Você também pode aprender muito mais sobre engajamento e outros fatores de sucesso da metodologia PCI (People-Centred Implementation) da Changefirst no Workshop Especialista em Mudança, que tem turma aberta em São Paulo programada para 28 a 30 de março. E veja como ter apoio da plataforma online e-change para gerenciar mudanças. As inscrições estão abertas. Entre em contato!

Qual a real capacidade interna da sua empresa para executar mudanças? Saiba como descobrir

 

Reality-Check-Change

Imagine uma empresa, consolidada em seu segmento de atuação, que quer implementar um grande projeto de mudança. De um lado, está o quanto ela efetivamente esperava realizar; de outro está o histórico que ela tem com iniciativas de mudança. Entre esses dois cenários, de acordo com uma pesquisa da IBM, normalmente há um gap de 22% de diferença entre o resultado esperado e o que normalmente é atingido.

Os motivos? Bem, podem ser vários: planejamentos inadequados, falta dos recursos necessários, baixa adaptação às tranformações do mercado e até mesmo a falta de fôlego da empresa para conseguir impulsionar uma verdadeira mudança.

Quanto a esse último ponto, uma pesquisa da Changefirst levantou que organizações com alta capacidade interna para gerir mudanças obtêm nos projetos cerca de 140% do valor previsto inicialmente. Essas são empresas que apresentam habilidades cruciais para entregar com agilidade um grande volume de mudanças na organização, sem perder a competitividade.

Um processo que ajuda as empresas a aumentar essa capacidade de forma ágil e flexível é a Gestão de Mudança Corporativa (Enterprise Change Management – ECM). Trata-se de um modelo que visa medir e melhorar o nível de maturidade das empresas para gerir mudanças.

A Changefirst desenvolveu um Modelo de Maturidade de Gestão de Mudança com base em quatro níveis. A partir da avaliação de cada um deles, é possível identificar em que estágio a organização está e trabalhar soluções para aumentar a capacidade interna de mudança.

Qual é o nível de maturidade da sua organização para executar mudanças?

O white paper Gestão de Mudança Corporativa – Fazendo o seu negócio Mudar, produzido pela Changefirst, traz uma pesquisa exclusiva – na página 14 – para avaliar em que estágio se encontra a empresa em relação à implementação de mudanças. Além disso, o material contém orientações de como implementar o modelo ECM na sua empresa.

Que tal começar? Faça download do white paper.

capa whitepaper ECM

Para apoiar as empresas que querem abordar a mudança a partir de uma perspectiva corporativa, a Dextera oferece diversas soluções combinadas para aumentar a capacidade de gestão de mudança organizacional como:

Caso queira tirar mais dúvidas sobre a implementação da Gestão de Mudança Corporativa, vamos conversar!

 

Está à venda o novo livro da Changefirst – Enterprise Change Management

Novo livro ChangefirstTemos uma boa notícia para quem se interessa por Mudança Organizacional: o novo livro da Changefirst, líder global em Gestão da Mudança, já está à venda na Amazon e no site da editora Kogan Page. A publicação Enterprise Change Management: How to Prepare Your Organization for Continuous Change foi lançada mundialmente em abril.

A proposta do livro é orientar os leitores quanto ao desenvolvimento de capacidades fundamentais para desenvolver nas organizações a maturidade e habilidade necessárias para implementar processos contínuos e bem-sucedidos de mudança. Saiba mais sobre o tema abordado na publicação.

Para ter um gostinho do que é o livro, confira o capítulo disponibilizado pelos autores David Miller (CEO e fundador da Changefirst)  e Audra Proctor (Diretora da Changefirst).

Desde 1995, a britânica Changefirst vem ajudando pessoas e organizações a implementarem mudanças bem-sucedidas por meio da Metodologia PCI® – People Centred Implementation. Consolidada com sucesso na Europa, Estados Unidos e Oceania, a metodologia está sendo difundida na América Latina por meio da aliança com a Dextera.

Em 2012, apoiamos a publicação da edição brasileira do livro Gestão de Mudança com Sucesso, primeiro lançamento da Changefirst. Confira a publicação.

PMI lança novo material sobre engajamento de stakeholders

O PMI (Project Management Institut) acaba de publicar o white paper Engaging Stakeholders for Project Success, escrito por David Miller e Mike Oliver, ambos da Changefirst, consultoria britânica com a qual a Dextera mantém aliança para a América Latina.

Este documento, solicitado pelo PMI, apresenta uma abordagem de três passos para o engajamento de stakeholders, fundamental para que uma implementação seja bem-sucedida.

Saiba mais sobre esta a abordagem! Faça o download do white paper (em inglês) pelo site do PMI.

David Miller é fundador e presidente da Changefirst, e autor do livro Successful Change, que ganhou versão em português em 2012 com o apoio da Dextera. O livro Gestão de Mudança com Sucesso pode ser encontrado nas principias livrarias do país e está em sua 2ª edição. Leia mais sobre ele aqui.

PMI_whitepaper

 

Glossário

O blog da Dextera traz novos termos para o glossário, que são muito utilizados em projetos de implantação de sistemas. Profissionais que atuam com gestão de mudança neste cenário precisam saber o que eles significam. Confira:

imagem-1Parametrização – É o termo usado para designar a configuração realizada no sistema. A parametrização corresponde à “modelagem” do módulo para atender os processos de negócio desenhados durante a fase de blueprint. Outro termo muito utilizado é “customização”. Neste caso, parametrizar, configurar e customizar são sinônimos.

Perfis de acesso – São perfis de autorização criados no sistema e atribuídos à chave de usuário de acesso ao sistema. O conjunto de perfis atribuídos à chave de usuário, normalmente, configura uma determinada função dentro da organização.

Plano de Cutover – É o  plano que contempla o detalhamento de todas as atividades e o seu sequenciamento de execução para colocar a solução desenvolvida em produção. O plano prevê a data de corte do sistema (com interrupção total ou parcial) e a data de entrada em produção do novo sistema, além das ações de contingência.

Caso tenha alguma dúvida, ou queira sugerir um termo para o glossário, deixe aqui o seu comentário.