Como o sponsor executivo pode apoiar ainda mais a mudança

A característica comum às organizações que alcançaram o mais alto nível de maturidade em gestão de mudança é que os sponsors executivos efetivamente gerenciem a capacidade de mudança da organização. Como eles fazem isso? Estando atentos ao equilíbrio entre a demanda e a capacidade organizacional de mudança, sabendo priorizar as mudanças no tempo em função da capacidade das pessoas em assimilar e adotar o novo.

Segundo o Modelo de Maturidade de Gestão da Mudança criado pela Changefirst (ECM – Enterprise Change Management, que apresentamos no artigo ECM – Fazendo Mudar o seu Negócio, faça o download), alcançar o nível 4 de maturidade, que é o mais alto, representa uma mudança substancial na cultura da maior parte das organizações. O ponto fundamental é que a capacidade de mudança precisa se tornar a principal métrica para os líderes decidirem se devem ou não implementar uma nova iniciativa. Mesmo os melhores processos de gerenciamento de mudanças terão dificuldade para conseguir a adesão das pessoas se elas se sentem sobrecarregadas.

Identificar o volume de mudanças, o ritmo de implementação e a capacidade que a organização possui para a execução é uma medida muitas vezes ignorada dentro das empresas. A tendência é executar o máximo de projetos o mais rápido possível. Isto leva a pensar que as habilidades de mudança da organização, o papel da liderança e o tempo necessário não estão sendo encarados com profundidade em relação aos projetos, resultando em uma ‘instalação’ em vez de uma ‘implementação’ de mudança.

Projetos instalados são oficialmente concluídos, mas falham em fornecer os benefícios esperados. Aqui, vemos uma perda de valor criada entre a expectativa dos resultados a serem obtidos e os benefícios reais que foram alcançados. Ignorar o fato de que a capacidade organizacional para mudança é limitada é assumir o risco de falhar pondo a perder as melhores estratégias e investimentos.

Em um programa com muitas mudanças, a falta de supervisão da capacidade é fator de risco

Pouco tempo leva a uma má execução. Isso flui de cima para baixo através de toda a organização à medida que cada nível de liderança se esforça para lidar com o enorme volume de trabalho. Sem tempo suficiente, os sponsors delegam a execução de ações primordiais para a diretoria. Isso, por sua vez, significa que a liderança para a iniciativa de mudança fica diluída ou ausente. Inevitavelmente, a transformação perde o caráter de urgência, o impulso e a credibilidade para aqueles que são impactados pela mudança. Os níveis subsequentes, também sobrecarregados com o volume de trabalho, precisam preencher as lacunas deixadas pelos patrocinadores, e por isso também delegam, e assim por diante, e assim por diante…

Gerenciar proativamente o portfólio global de mudanças e avaliar a capacidade e o limite das pessoas à mudança antes de iniciar os projetos é papel dos sponsors executivos. Isso diminui o risco de conduzir mais mudanças do que a organização pode entregar.

O papel do C-Level no modelo de maturidade

No nível 4 da maturidade do gerenciamento de mudanças, as principais características da capacidade de mudança organizacional são:

  • A gestão de mudança foi adotada por toda a organização.
  • Os executivos dedicam tempo avaliando a demanda por mudança como um todo e o nível de capacidade que a organização possui.
  • Os agentes de mudança criam melhorias constantes na gestão de mudança.
  • São produzidos estudos de caso que demostram a efetividade da gestão de mudança.
  • A gestão de mudança foi incorporada pela cultura da empresa – ela se torna “a forma como fazemos as coisas por aqui”.

Cada uma dessas características requer o suporte do C-Level para serem alcançadas, seja por dirigir visivelmente a cultura do gerenciamento de mudanças ou fornecer recursos ou orçamento e, principalmente, dedicar seu tempo pessoal para atividades de gerenciamento de mudanças.

Juntamente com isso, outras duas atitudes são primordiais para a liderança, que também precisam ser evidentes no nível executivo e em cascata:

  • Gerenciar efetivamente as mudanças precisa se tornar uma competência;
  • Avaliar a capacidade e os limites das pessoas para mudar com sucesso é uma parte essencial da tomada de decisão estratégica.

Conheça os workshops voltados para a capacitação de agentes de mudança, gestores e liderança. Entre em contato para saber mais.

Fonte: Sobre este assunto, leia na íntegra o artigo How the C-Suite can sustain Enterprise Change Management capability no blog da Changefirst.
Você também pode ler mais sobre o Modelo ECM no livro Enterprise Change Management (siga o link para baixar seu capítulo gratuito).

 

Anúncios

Quão ágil é a sua gestão de mudança?

Mudanças rápidas e frequentes exigem líderes mais preparados

Agilidade e gestão da mudança são dois termos que não costumam andar juntos, principalmente nos dias de hoje. Cada vez mais os líderes corporativos estão exigindo agilidade de suas organizações. O ritmo mais rápido das mudanças em todos os segmentos exige um ritmo mais rápido de mudança interna. Por isso, a capacidade de gerenciamento de mudanças está sendo desafiada a ser mais ágil ou corre o risco de perder seu valor organizacional.

Esse rápido ritmo de mudança está pressionando as equipes de desenvolvimento organizacional e de gerenciamento de mudanças a apoiar mudanças frequentes e contínuas. Por isso é essencial que a abordagem de gerenciamento de mudanças se adapte às necessidades de mudança de sua organização.

Conheça a abordagem PCI® (People-Centred Implementation) da Changefirst® que oferece capacitação para que os diferentes níveis hierárquicos (executivos, gestores e agentes de mudança) ampliem suas competências. Eles podem contar com o suporte da plataforma e-change® que reúne planos, ferramentas, recursos e educação em uma aplicação online, fácil de usar, permitindo otimização de tempo e recursos. O e-change assume a rotina operacional dando mais tempo aos líderes e agentes para pensar a mudança de forma estratégica.
Um time coeso, utilizando a mesma linguagem, ciente do seu papel e das ações que precisam ser desenvolvidas, utilizando uma abordagem eficaz e um conjunto de ferramentas integradas vai aumentar a maturidade da empresa na gestão, e fazê-la alcançar mais rapidamente os resultados pretendidos.

As inscrições estão abertas para o próximo Workshop Especialista em Mudança, que acontece nos dias 27, 28 e 29 de Junho. Com carga horária de 24 horas, o participante vai aprender a planejar, executar, medir e monitorar suas iniciativas de mudança organizacional, aplicar o PCI em um projeto real e construir um plano de ação para uso imediato. Solicite mais informações sobre formação em gestão de mudança da Dextera aqui.

Você pode encontrar mais informações sobre agilidade e gestão de mudança acessando o Blog da Changefirst.

Como preparar os líderes para conduzir mudanças

Pesquisas recentes revelam que poucas organizações têm capacidade plena para conduzir mudanças – apenas 17% das empresas consideram que são altamente eficazes no gerenciamento de suas iniciativas de mudança.

Uma das razões para este número pouco animador é o despreparo de líderes, gestores e agentes de mudança, o que aumenta a responsabilidade da área de RH (especialmente T&D) na capacitação destes profissionais. É importante que a área conheça muito bem a disciplina e seus benefícios para poder desenvolver uma cultura interna voltada aos aspectos humanos da mudança, assim como sensibilizar e comprometer as lideranças para exercerem seu papel.

Se você é um profissional de RH, assista à palestra O papel da liderança frente às mudanças organizacionais de Simone Costa, sócia-diretora da Dextera Consultoria, no dia 29 de maio, de 14h às 15h, na Conferência Ibero-Americana de Liderança 2015.

Logo Conf Ibero-americ 2015O evento será promovido pela Editora Gestão & RH, e traz como tema central Liderança positiva: o desafio de liderar e engajar pessoas. Nos dias 28 e 29 de maio, das 9h às 18h, destacados conferencistas e executivos do Brasil e da Argentina vão compartilhar as práticas utilizadas para promover estas capacidades.

Acesse aqui para saber mais sobre a Conferência e os palestrantes, ver a programação na íntegra e fazer sua inscrição. Informações: (11) 2385-2603 – rafael@gestaoerh.com.br

Conferência Ibero-Americana de Liderança 2015
Local: Universidade Anhembi, Vila Olímpia, São Paulo-SP
Dia 28/05 – Rua Casa do Ator, 294 – Auditório 501 C
Dia 29/05 – Rua Casa do Ator, 275 – Auditório principal

 

Padrão global de gestão de mudança, agora no Brasil

Em 2009, um grupo de profissionais e estudiosos da gestão de mudança, representantes de vários países, iniciou um diálogo para desenvolver a disciplina e estabelecer suas melhores práticas. O intuito do grupo era buscar o reconhecimento da gestão de mudança como uma disciplina de valor e de alta competência profissional.

Como resultado desta iniciativa, nasceu nos Estados Unidos, em 2012, a ACMP (Association of Change Management Professionals), uma organização sem fins lucrativos com a missão de estabelecer um padrão global na gestão de iniciativas de mudança, dedicada a potencializar a carreira dos profissionais e estimular a eficácia das organizações no gerenciamento das mudanças.

A ACMP Global conta com 2 mil afiliados de 50 países, congregando organizações comerciais, governamentais, educacionais e consultores de gestão de mudança. E pode crescer muito mais ainda com a expansão desta rede pelo mundo. Cada país se torna um Chapter quando possui mais de 25 membros associados e uma estrutura capaz de contribuir para o avanço da disciplina, facilitar o acesso local à comunidade global de gestão de mudança, promover conhecimento e o contínuo desenvolvimento de profissionais e organizações, e possibilitar a troca de informações entre estes setores.

David and Kent - Booth 401 - ACMP2015_Vegas

Kent Boesdorfer e David Miller na Conferência em Vegas

As atividades por aqui começaram em 2014. Hoje o Brasil é um Potential Chapter na rede global. Fabiano Sannino, presidente da ACMP Brazil Potential Chapter, esteve presente na Conferência Anual da ACMP realizada em Las Vegas (EUA), de 12 a 15 de abril, e confirmou a intenção do país em se tornar um membro Chapter. A equipe da ACMP Brazil vem trabalhando para ampliar as ações e consolidar o país como um membro ativo, tendo como objetivo maior apoiar o avanço da disciplina de gestão de mudança no Brasil. David Miller, CEO e fundador da Changefirst (na foto à direita), e Kent Boesdorfer (parceiro da Changefirst para a América do Norte) também estiveram presentes no evento. A Dextera mantém aliança com a Changefirst para a América Latina, provendo workshops e consultoria na Metodologia PCI (People-Centred Implementation).

A ACMP Global oferece webinars, recursos de consulta como informativos e white papers, fórum de discussão online e comunidade virtual. Já lançou o ACMP Standard for Change Management, o conjunto de normas padrão que estabelece o entendimento comum e as práticas gerais que vão ajudar líderes e profissionais a alcançar e manter os objetivos de mudança. Acesse o documento aqui.

Se você quer conhecer ou ajudar a ACMP Brazil a crescer, entre em contato pelo Linkedin.

Acompanhe as publicações da Dextera. Continuamente informaremos sobre o avanço da ACMP Brazil.

Palestra: “Gestão de mudança e o seu impacto organizacional”

???????????????????????????????Diariamente, nas organizações, nos deparamos com várias transformações e sua complexidade, exigindo elevados níveis de competência, maturidade e relacionamento com os envolvidos.

Diante desse cenário, a diretora geral da Dextera Consultoria, Simone Costa, fará uma palestra exclusiva, no dia 25 de junho, para o Comitê de Gestão de Pessoas formado por executivos de empresas sócias da Câmara Americana de Comércio (Amcham), com o tema Gestão de mudança e o seu impacto organizacional.  Ela abordará questões como os principais desafios da mudança em uma organização e como implantar uma gestão eficaz, tendo em vista o papel dos profissionais de Recursos Humanos. 

Dica para mudança – A simple guide to Change Management

ScreenShot189A Dextera traz em seu blog mais uma dica sobre Gestão de Mudança do portal Better Business Learning: o pôster A simple guide to Change Management.

Trata-se de um guia simples sobre Gestão de Mudança. Nele é possível perceber aspectos como o cenário corporativo atual que demanda mudanças, os principais tipos de pessoas relacionadas à mudança, como o crítico, a vítima, o espectador e o navegador, e dicas para conduzir a mudança de forma a criar mais “navegadores” na sua empresa – aqueles que são resilientes e capazes de se adaptar às novas circunstâncias.

O site Better Business Learning é conhecido por fornecer inúmeros materiais criativos sobre Gestão de Mudança.  Desde pôsteres, vídeos, infográficos, entre outros conteúdos, que são disponibilizados para quem fizer o cadastro no portal. O site é em inglês, mas o cadastro é simples e rápido. Aprenda, use e divulgue no seu meio as dicas do betterbusinesslearning.com

Faça já o download do pôster completo A simple guide to Change Management!